top of page
banner-norte-1
  • Foto do escritorCefas Alves Meira

Jornalismo mineiro perde Robson Leite


O jornalista, acometido por um câncer, tinha apenas 55 anos

O jornalismo mineiro perde um de seus maiores talentos. Foi velado e cremado neste sábado, no Parque Renascer, o corpo do jornalista Robson Leite, morto precocemente, apenas 55 anos. Robson foi acometido de um câncer no intestino, e mesmo após uma luta ferrenha contra a doença, não resistiu.


Robson Leite formou-se pela PUC Minas e trabalhou em vários veículos, como TV Globo e TV Alterosa e rádio 98FM. Mantinha no YouTube o canal The Leite Show. Um de seus trabalhos mais recentes foi comentar, pelos canais de mídias sociais, a morte, em setembro, da Rainha Elizabeth.


Depoimentos

Amigo e conterrâneo de Robson Leite, o compositor Chico Buarque, que esteve em BH no último domingo acompanhando o ex-presidente Lula, ciente da doença do jornalista mandou um aúdio por uma rede social: “Oi Robson, é o Chico Buarque. Fiquei sabendo que você está meio perrengue. Melhoras. Vai dar tudo certo, amigo!”. Não deu, infelizmente.


Benny Cohen, editor de Mídias Convergentes do portal Uai, não se conforma com a morte do amigo, com quem trabalhou muito tempo na TV Alterosa. “ Ele foi produtor, repórter, editor, fez programas, fez quadros de cultura, agenda, fez matéria do Alterosa Esporte, não há nada que não tenha feito”, conta Benny, acrescentando:

“Um dos melhores jornalistas com quem trabalhei na televisão. Super criativo, sempre inquieto, o tempo todo com uma ideia nova, um projeto diferente, a cabeça funcionando 24 horas. Dono de uma ironia fina, sempre com uma piada prontinha pra arrematar uma conversa, Robson era uma gozador nato. Impossível ficar perto dele sem rir a cada minuto, ainda que fosse ele o alvo das brincadeiras”.


“Mas era também um observador atento do cotidiano, com uma visão apaixonada em defesa de suas crenças e com um profundo espírito de justiça social e bem-estar para todos, assim como um crítico permanente dos absurdos desse mundo cada vez mais louco. Mas, acima de tudo, Robson era um tremendo companheiro. Aquele que não podia faltar à mesa do bar, pra jogarmos conversa fora regada a umas cervejas”.


E concluiu: “A falta dele não será sentida por nós, estou certo, porque Robson estará conosco, e sempre teremos tempo pra lembrar das deliciosas histórias dele, os casos engraçados, os programas da TV Alterosa que produziu, as sensacionais matérias que editou, a obra gigante que construiu em décadas de televisão, tornando-se um dos melhores profissionais que o mercado mineiro já teve”.


Em sua página no Twitter, o comentarista cruzeirense Hugão não escondeu sua tristeza: "Perdemos um gênio do jornalismo esportivo mineiro. Um cara que ficou atrás das câmeras para que outros brilhassem. Você tem uma parcela considerável da mudança que aconteceu comigo, e graças a Deus pude te agradecer em vida, por tudo que fez por mim. Descanse em paz Robson Leite, minha referência e grande amigo. Obrigado por tudo".


Pelo Instagram, o perfil Jornalistas de Minas lembrou que Robson Leite herdou do pai o amor pela música, tendo fundado, com os amigos Leopoldo Siqueira, Leandro Neves, Vanderci Orozimbo e Antônio Otávio Montes, o grupo de samba Vinagrette.


Robson era casado com a jornalista Eloara Bahia, com quem teve dois filhos, Rafael e Luiza.


123 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page