• Cefas Alves Meira

Tavolaro deixa CNN Brasil e surpreende o mercado


O jornalista era presidente da emissora, que dirigia ao lado do mineiro Rubens Menin

“Foi uma realização profissional memorável implantar a marca CNN no Brasil. Tenho uma alegria enorme pelo que fizemos. Desejo todo sucesso à empresa”.


Foi como o jornalista Douglas Tavolaro comunicou ontem, 25, que não é mais o presidente da emissora que ajudou a fundar em 15 de março de 2020, aos 43 anos, junto com o empresário mineiro Rubens Menin, dono da construtora MRV.


Essa saída repentina de Tavolaro gerou especulações no mercado sobre o motivo de seu afastamento da empresa. Em um comunicado, o jornalista disse apenas que “foi uma realização profissional memorável implantar a marca CNN no Brasil. Tenho uma alegria enorme pelo que fizemos. Desejo todo sucesso à empresa”.


Tavolaro não falou sobre seu futuro profissional, dizendo aos amigos que vai se dedicar a projetos editoriais nos Estados Unidos. Revelou que já vendeu também sua participação societária para a família Menin, que agora é dona sozinha da CNN Brasil, além do grupo MRV e Banco Inter.


Em nota, a CNN Brasil disse agradecer a Tavolaro nesses 12 meses de dedicação e reconhecer “sua importância desde a concepção do projeto. Seu desempenho foi fundamental para consolidar a empresa como uma das principais e mais premiadas operações jornalísticas do país”.


Nos próximos três meses haverá uma transição de gestão na emissora, e ainda esta semana será definido o sucessor de Douglas Tavolaro na presidência da empresa de comunicação.


Um ano

Às 20h de15 de março de 2020, um domingo, a CNN Brasil fazia sua estreia no país. A pauta não poderia ser outra – o avanço da Covid-19 no mundo. A doença tinha causado apenas uma morte aqui, ocorrida três dias antes da chegada da emissora, mas esse dado só seria apurado pelas autoridades sanitárias mais tarde, e não pôde ser divulgado pelo canal em seu primeiro dia no ar. Hoje, passados 12 meses e 10 dias da inauguração da CNN brasileira, já são mais de 300 mil óbitos.


No último dia 15 a emissora preferiu, por causa da gravidade da pandemia, não comemorar o primeiro aniversário. Douglas Tavolaro, então ainda CEO e sócio-fundador da CNN Brasil, fez apenas um curto registro:


“Nossa estreia coincidiu com o início da pandemia. Nesse tempo, muitas comemorações foram adiadas. De aniversários, de casamentos, de nascimentos de filhos. O Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais e tantas outras datas especiais foram vividas de forma diferente. Assim, entendemos que o momento é de mostrar respeito pelas vítimas da pandemia e continuar fazendo o nosso trabalho: informar a população de forma imparcial sobre tudo o que vem ocorrendo”, disse o jornalista.


Um vídeo foi ao ar naquele dia, com apresentadores, comentaristas e analistas se revezando e levando uma mensagem tocante sobre as dificuldades da pandemia, mas reafirmando a esperança no fim desse pesadelo.


A emissora ressaltou, em um comunicado, vir oferecendo ao público desde sua estreia 18 horas diárias de programação exclusiva ao vivo, consolidando sua programação multiplataforma. Destacou que as notícias produzidas pelo canal são transmitidas pela TV, pela rádio CNN Brasil, pelo site, por aplicativo e pelo Youtube, e pelas mais diversas plataformas digitais, como redes sociais, pushes, notificações, newsletters e podcasts. Apenas em mês de janeiro, frisou o documento, os conteúdos da CNN atingiram mais de 90 milhões de brasileiros.


71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo