• Cefas Alves Meira

Internet Explorer, o fim de um navegador pioneiro


O browser, que já estava moribundo, foi substituído pelo Edge, também da Microsoft

Na última quarta-feira, com 27 anos de serviços prestados à web, o navegador Internet Explorer, da Microsoft, um dos pioneiros no meio digital, saiu de campo por aposentadoria. O grupo Microsoft vai continuar investindo pesado no Edge, criado há sete anos, que assume agora a titularidade.


Ao anunciar o fim do Internet Explorer, o que já era objeto de especulações desde 2015, a Microsoft, retirando do ar o suporte ao sistema, informou no entanto que ele ainda pode ser acessado nas versões Windows abaixo de 11, até sua extinção definitiva.


Rapidez

Agora, prioridade total ao Edge, Segundo a Microsoft, o novo navegador é mais rápido, seguro e moderno, além de oferecer compatibilidade com sites e aplicativos mais antigos, competindo em igualdade de condições com os concorrentes Chrome, Mozilla e Safari.


Moribundo, o Explorer detinha uma participação de apenas 0,5% do mercado, e a empresa já vinha pedindo para que as organizações que ainda trabalhavam com o navegador abandonassem o browser.


"Com o Microsoft Edge, oferecemos um caminho para o futuro da web, respeitando o passado. A mudança era necessária, mas não queríamos deixar para trás sites e aplicativos confiáveis e ainda em funcionamento", afirmou a empresa no ano passado, quando comunicou ao mercado a decisão de acabar com o Internet Explorer.


História

O Internet Explorer foi lançado em 1995 pela Microsoft, junto com o Windows 95. Quando chegou ao mercado, o navegador rivalizou com o Netscape Navigator, que dominava a internet na época.


Menos de dez anos depois, o browser se tornou o navegador mais utilizado no mundo, com mais de 90% dos computadores utilizando.


O sucesso do Internet Explorer, que era distribuído junto com o Windows, acabou matando o Netscape, o que serviu de estímulo para um dos maiores processos antitruste da história até hoje.


A liderança do navegador começou a cair após o crescimento de rivais como o Google Chrome e FireFox, que dominaram o setor após 2010. Em 2015, a Microsoft substituiu o Internet Explorer pelo Edge, mas a primeira versão do navegador acabou não fazendo tanto sucesso.


O Edge recebeu aprimoramentos, utiliza o mesmo motor do Chrome e está disponível como padrão no Windows 10 e Windows 11, além de ter uma versão mobile. Com o impulso do sistema operacional da marca, o software já está batendo os rivais Firefox e o Safari.


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo