• Cefas Alves Meira

Fenômeno vem a BH dia 2 já como dono do Cruzeiro



O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, e Ronaldo, quando foi anunciada a transação

Ronaldo Fenômeno estará em BH no próximo dia 2, para se apresentar oficialmente como dono de 90% do Cruzeiro e aproveitar para comemorar, junto com a massa azul, os 101 anos do clube.


A aquisição - R$ 400 milhões - foi anunciada ontem pela XP Investimentos e pelo Cruzeiro Esporte Clube, por meio de seu presidente, Sérgio Santos Rodrigues. A milionária transação engloba ainda uma dívida do time azul junto a credores em torno de R1 bilhão, que será assumida pela Tara Esportes, empresa do Fenômeno.


O ex-dono da camisa 9 do Cruzeiro e da Seleção não é um novato em gestão de agremiações esportivas. Ronaldo é dono de 51% das ações do Real Valladolid, coincidentemente time da segunda divisão da Espanha.


Planejamento

Hoje à tarde, ainda se acostumando com a ideia de ser proprietário do time que o consagrou mundialmente, Ronaldo anunciou os próximos passos á frente do Cruzeiro:


"Depois desse anúncio nós temos um processo burocrático a seguir, tem toda a due diligence (diligência prévia, um processo de investigação de informações de uma empresa)”. Esse procedimento, acrescentou, será feito ”para entendermos em qual situação real se encontra e, a partir daí, começar a planejar o nosso trabalho", destacou o ex-craque.


Ronaldo Fenômeno enfatizou, no entanto, que a prioridade é o aniversário de 101 anos do clube. "Dia 2 estaremos lá em BH. Você, torcedor do Cruzeiro, compareça, vai ser uma festa bonita e vamos aproveitar esse entusiasmo da torcida, mas principalmente mostrar que temos muito trabalho pela frente", complementou.


Futebol é rentável

Duas semanas atrás o ex-craque foi entrevistado pelo canal no YouTube Flow Sport Club, e um internauta pediu para que ele comprasse o Cruzeiro. Ronaldo negou interesse: "Muita gente me manda mensagem no chat pedindo para eu comprar Cruzeiro, Vasco, Botafogo... eu não sei quanto de dinheiro a galera está achando que eu tenho", despistou, na entrevista.


Fenômeno disse, porém, que o esporte é um bom negócio, desde que tenha uma boa gestão. "Mas o futebol é rentável. Uma base de dados como o Cruzeiro tem, isso é uma máquina de fazer dinheiro. Fazendo minimamente bem, não precisa ser um gênio. Vai dar certo. O negócio é a gestão sustentável. Os clubes estão identificando isso. Precisa mais do que a água para beber", destacou.


Ciclo virtuoso

José Berenguer, CEO da corretora XP, destacou ontem que “esse é o primeiro negócio de uma nova frente relevante para o mercado de Investment Banking no Brasil, o país do futebol. Não tenho dúvida de que é transformacional na história do esporte brasileiro”.


“Teremos clubes ainda mais fortes, com capacidade de investimento em nível global. O futebol brasileiro nunca mais será o mesmo. É um ciclo virtuoso que se inicia e estamos prontos para ajudar todos os nossos clientes nessa jornada”, acrescentou o empresário.


Sócio e head do Investment Banking da XP, o empresário Pedro Mesquita diz que ter uma equipe dedicada e especializada em esportes foi fator fundamental para o sucesso do negócio em tempo recorde.


“Nos últimos anos, construímos uma empresa focada em entregar as melhores soluções aos nossos clientes. Somos hoje o único Investment Banking do Brasil com uma área totalmente dedicada ao esporte, com profissionais altamente qualificados e especializados. A nossa meta é assessorar os maiores clubes brasileiros na construção do melhor campeonato de futebol do mundo nos próximos anos. Afinal, somos os únicos pentacampeões e temos os melhores jogadores do planeta”, afirmou.



49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo