Neymar cobrou R$ 1 milhão da Gillette para gravar comercial-desabafo

3 Aug 2018

 

 

O comercial veiculado pela Gillette, onde Neymar Jr se defende da fama de cai-cai, difundida no mundo inteiro durante e logo após a Copa da Rússia, não foi feito só e unicamente para o jogador se defender. Ele cobrou da Gillette um cachê de1 milhão de reais.

O vídeo não agradou os torcedores, e muito menos ao segmento publicitário – com exceção, claro, da agência Grey, que criou o vídeo.

Para Washington Olivetto, considerado o maior publicitário do Brasil e especialista em campanhas de oportunidade, o filme não foi bom nem para a empresa nem para o camisa 10 do PSG. 

REALIMENTA - "A campanha volta diretamente ao tema e realimenta o problema. Isso é natural, pois a gente fica relembrando problema que aconteceu. Ele é um fenômeno de talento e não de mídia. Mas, como ele tem talento, a solução não é a mídia", disse Olivetto, em entrevista à revista Época.

"Com o seu talento, é possível esquecer tudo em três meses. Essa é a sensação que eu tenho, mas na comunicação a gente não tem certeza de tudo", frisou o publicitário, que mora na Inglaterra. 

"Como um profissional da área, acho que o Neymar tem um patrimônio único para recuperar a sua imagem, que é o seu talento jogando futebol. Nesse momento, a melhor coisa que ele poderia fazer é se poupar da presença na mídia e se dedicar a jogar futebol. Só assim ele vai recuperar a imagem em pouco tempo", disse.

E completou: "Que o Neymar exerça seu talento jogando bola e saia da mídia. Eu acho que as pessoas ficarão mais solidárias com o Neymar quanto mais ele exercer seu talento como jogador. Ele não tem obrigação de ir de se desculpar".

Neymar Jr não fez o desabafo só e unicamente para se defender. Cobrou da Gillette um cachê de1 milhão de reais.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no
Curta esse
Please reload