TJ autoriza Magalhães a retornar à Câmara de BH

7 Apr 2017

 

Na última sexta-feira, 31 de março, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspendeu o processo e as investigações contra o ex-presidente da Câmara de Belo Horizonte, vereador Wellington Magalhães (PTN), acusado de envolvimento em fraudes (área de comunicação) no legislativo municipal da capital mineira.

A suspensão, de acordo com o TJMG, vai até que seja decidido, pela própria instituição, se a ação será desmembrada, já que a irmã do parlamentar, a deputada estadual Arlete Magalhães (PV), também foi citada, e tem foro privilegiado.

Reeleito vereador, Wellington Magalhães estava afastado desde 6 de dezembro, acusado por envolvimento na operação Santo de Casa, que apura fraude em um processo licitatório fechado quando ele ainda era presidente do legislativo. Wellington é acusado de crimes de corrupção, enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro, em contratos firmados pela Câmara em sua gestão de presidente.
 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no
Curta esse
Please reload