• Cefas Alves Meira

Zé Gotinha de fuzil revolta criador do mascote




Indignação e revolta. Foi como o artista plástico Darlan Rosa, criador do “Zé Gotinha”, tradicional mascote das campanhas de vacinação no país, reagiu à postagem nas redes sociais do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), onde o mascote aparece armado de uma seringa em forma de fuzil.

O post teria inicialmente a legenda “Nossa arma agora é a vacina”, substituída depois para “Nossa arma é a vacina”.


Mascote educativo

O artista plástico argumentou, em entrevista à revista Época, que “Zé Gotinha” foi criado para educar, e não deveria ter sua imagem associada a armas.




“Fiquei muito indignado e triste. Foi um personagem criado para fins educativos, para ensinar às crianças que a vacina é um bem que precisa ser usado, e que a educação se faz pelo exemplo”, afirmou Darlan, acrescentando:

“Esse cartum é um péssimo exemplo. A imagem do zé Gotinha não tem nada a ver com imagem de armas”.


44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo