• Cefas Alves Meira

Homofobia. Sikêra Jr. perde Ford, MRV, TIM e Magalu


Suspensão de patrocínios num efeito dominó. Foi como o mercado reagiu às falas preconceituosas de Sikêra Jr., apresentador do programa “Alerta Nacional”, da RederTV!, sobre o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, comemorado ontem no Brasil e em todo o mundo.


“Raça desgraçada”

Sexta-feira, Sikêra, referindo-se às comemorações do movimento LGBTQIA+, chamou os homossexuais de “raça desgraçada” e cuspindo frases como “vocês são nojentos” e “já pensou ter um filho viado e não poder matar?”.


Este comportamento agressivo, com declarações em tom de editorial no “Alerta Nacional”, feitas ao vivo no programa, geraram uma ação judicial, impetrada pela Aliança Nacional LGBTI+.


Mas o pior estava vindo para o âncora. Viralizava nas redes sociais uma campanha lançada pelo movimento Sleeping Giants Brasil - que condena e denuncia preconceitos de todo tipo -, solicitando aos anunciantes do “Alerta Nacional” que retirassem o apoio a Sikêra e ao seu programa. Foi criado um post com a hashtag #DesmonetizaSikera, estimulando a suspensão de patrocínio ao apresentador, assumidamente homofóbico. A postagem foi uma das mais visitadas e compartilhados no Twitter.


Dominós

A primeira marca a romper o contrato foi o plano de saúde Hapvida, do Amazonas, estado onde o apresentador atua na RedeTV local. “Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. Suspendemos o patrocínio do ‘Alerta Amazonas’. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, disse a patrocinadora, complementando:

“Esse orgulho reflete no amor, na forma de amar, no respeito e na verdade da nossa história e de quem somos. Que possamos construir um mundo melhor para que todos possam aproveitar com o seu orgulho de viver pra valer”.


E os dominós foram caindo, com a MRV, Nivea, Ford, Magazine Luiza e TIM também se posicionando, anunciando o rompimento de seus contratos publicitários e reafirmando apoio integral ao movimento Orgulho LGBTQIA+.


A mineira MRV, também pelas redes sociais, respondendo ao pedido do Giants Brasil, foi taxativa, frisando que o grupo “acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”.


E mais rescisões de patrocínio. A TIM foi enfática e assertiva: “Já solicitamos à plataforma de anúncios automáticos a suspensão da veiculação neste canal. Reforçamos que a TIM não está ligada a movimentos nem compactua com a disseminação de notícias falsas e discursos de ódio”.


A empresária Luiza Helena Trajano foi contundente em sua resposta ao pedido do Giants: “O Magalu é contra qualquer forma de LGBTfobia e nunca admitiremos isso. Obrigada por ter nos alertado. Não patrocinamos o programa, mas havia anúncios sendo exibidos de forma automática pelo Youtube no canal. Eles já foram bloqueados e não serão mais exibidos”.


O CEO da emissora, Marcelo de Carvalho, não havia se pronunciado até o fechamento deste post, mas circulam notícias de que haverá mudanças radicais no programa, que podem redundar até na saída de Sikêra Jr. da RedeTV!



74 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo