top of page
banner-alvorada-fm
  • Cefas Alves Meira

Homofobia. Sikêra Jr. perde Ford, MRV, TIM e Magalu


Suspensão de patrocínios num efeito dominó. Foi como o mercado reagiu às falas preconceituosas de Sikêra Jr., apresentador do programa “Alerta Nacional”, da RederTV!, sobre o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, comemorado ontem no Brasil e em todo o mundo.


“Raça desgraçada”

Sexta-feira, Sikêra, referindo-se às comemorações do movimento LGBTQIA+, chamou os homossexuais de “raça desgraçada” e cuspindo frases como “vocês são nojentos” e “já pensou ter um filho viado e não poder matar?”.


Este comportamento agressivo, com declarações em tom de editorial no “Alerta Nacional”, feitas ao vivo no programa, geraram uma ação judicial, impetrada pela Aliança Nacional LGBTI+.


Mas o pior estava vindo para o âncora. Viralizava nas redes sociais uma campanha lançada pelo movimento Sleeping Giants Brasil - que condena e denuncia preconceitos de todo tipo -, solicitando aos anunciantes do “Alerta Nacional” que retirassem o apoio a Sikêra e ao seu programa. Foi criado um post com a hashtag #DesmonetizaSikera, estimulando a suspensão de patrocínio ao apresentador, assumidamente homofóbico. A postagem foi uma das mais visitadas e compartilhados no Twitter.


Dominós

A primeira marca a romper o contrato foi o plano de saúde Hapvida, do Amazonas, estado onde o apresentador atua na RedeTV local. “Não apoiamos forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual. Suspendemos o patrocínio do ‘Alerta Amazonas’. Estamos sempre trabalhando por uma sociedade mais saudável”, disse a patrocinadora, complementando:

“Esse orgulho reflete no amor, na forma de amar, no respeito e na verdade da nossa história e de quem somos. Que possamos construir um mundo melhor para que todos possam aproveitar com o seu orgulho de viver pra valer”.


E os dominós foram caindo, com a MRV, Nivea, Ford, Magazine Luiza e TIM também se posicionando, anunciando o rompimento de seus contratos publicitários e reafirmando apoio integral ao movimento Orgulho LGBTQIA+.


A mineira MRV, também pelas redes sociais, respondendo ao pedido do Giants Brasil, foi taxativa, frisando que o grupo “acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”.


E mais rescisões de patrocínio. A TIM foi enfática e assertiva: “Já solicitamos à plataforma de anúncios automáticos a suspensão da veiculação neste canal. Reforçamos que a TIM não está ligada a movimentos nem compactua com a disseminação de notícias falsas e discursos de ódio”.


A empresária Luiza Helena Trajano foi contundente em sua resposta ao pedido do Giants: “O Magalu é contra qualquer forma de LGBTfobia e nunca admitiremos isso. Obrigada por ter nos alertado. Não patrocinamos o programa, mas havia anúncios sendo exibidos de forma automática pelo Youtube no canal. Eles já foram bloqueados e não serão mais exibidos”.


O CEO da emissora, Marcelo de Carvalho, não havia se pronunciado até o fechamento deste post, mas circulam notícias de que haverá mudanças radicais no programa, que podem redundar até na saída de Sikêra Jr. da RedeTV!



78 visualizações0 comentário
bottom of page