• Cefas Alves Meira

Giselle, a sambista que deu voz à campanha "Quarta-feira"


A cantora não escondeu seu orgulho por ter sido elogiada por Eduardo Paes

De repente – e ela mesma ficou surpresa –, uma cantora mineira vê seu trabalho reconhecido em outra região, e elogiado pelo prefeito da capital desse Estado. É a cantora Giselle Couto, que dá voz ao filme “Quarta-feira”, criado pela agência Dezoito Comunicação para a Belotur.


O vídeo, que procura sensibilizar os belo-horizontinos a não se aglomerarem durante o Carnaval, recebeu elogios de Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, que pediu inclusive a Alexandre Kalil autorização para usá-lo durante a folia na comunicação daquela cidade.


Honrada

Em entrevista à repórter Patrícia Cassese, do jornal O Tempo", Giselle não escondeu sua satisfação: “Eu já tinha me sentido muito honrada em receber da Brokolis do Brasil o convite para participar desse vídeo sensível e inteligente, nesse momento tão delicado. Uma equipe incrível foi responsável por esse trabalho lindo, e aí foi uma surpresa ainda maior o compartilhamento do prefeito Eduardo Paes e, mais ainda, a resposta do nosso prefeito Alexandre Kalil. Estou muito feliz com a repercussão positiva. Recebo diariamente muitas mensagens emocionadas. É muito gratificante ver meu trabalho emocionando as pessoas!", explicou.


Eduardo Paes, tão logo assistiu o filme criado pela Dezoito, postou no Twitter: "A prefeitura do Rio está com a grana curta para fazer campanhas. Diante disso, peço licença à @prefeiturabh e ao prefeito @alexandrekalil para usar esse lindo vídeo para inspirar os cariocas!".


AlexandreKalil autorizou o uso do vídeo. "Que isso, prefeito, a luta pela vida é de todos. Fique à vontade", postou.


A campanha “Quarta-feira” traz a mensagem de evitar aglomerações no período carnavalesco: "Este ano está combinado, nós vamos brincar separados", diz a trilha do vídeo, parodiando uma famosa marchinha carnavalesca.


Sambista

À repórter Patrícia Cassese, Giselle confessou ter ficado pesarosa com o cancelamento da folia. "Sei com conhecimento de causa o quanto isso impacta negativamente principalmente quem trabalha no Carnaval, desde os blocos até os vendedores ambulantes. Mas acredito que foi a decisão mais acertada. O Carnaval pode esperar, nossa vidas não", frisou,


E recomendou que durante a após o Carnaval a população não deve abrir mão dos cuidados preventivos nessa pandemia: "Distanciamento social, uso de máscaras para proteger as vias aéreas, lavar sempre as mãos com água e sabão e usar álcool em gel", acrescentando que a Covid-19 não é eterna:

"Vai passar! Sem dúvida nós vamos nos reerguer e faremos o Carnaval mais lindo de todos os tempos!".


Shows e bares

Graduada em música pela Universidade Federal de Ouro Preto, Giselle Couto, antes de concluir o curso já se apresentava em shows e mesmo em bares de BH e interior.


Em dezembro, no Dia Nacional do Samba, lançou seu segundo disco - “Natureza”. Com nove faixas inéditas, o trabalho se propôs a reverenciar a ancestralidade, elementos naturais e o próprio samba.


Sambista de coração e alma. Giselle iniciou a carreira 2002, com o grupo “Samba na Ladeira”, em Ouro Preto. Em 2013, foi uma das componentes do “Samba da Madrugada”, em Belo Horizonte. Hoje, participa grupo samba e choro “Flor de Abacate”, integra o projeto de samba autoral mineiro “Samba da Criação”, e o bloco “Bebadosamba”, uma homenagem a Paulinho da Viola. É também anfitriã da “Central do Samba”, projeto que reúne uma vez por mês sambistas mineiros.


“Natureza” foi gravado entre 2019 e 2020 no Estúdio Comparsa pelo técnico de som Fabrício Galvani, co-autor da mixagem e masterização. Com produção musical de Thiago Delegado, o álbum traz composições sambistas brasileiros como Toninho Geraes e Moyseis Marques, além de canções da nova safra feminina de compositoras mineiras como Marina Sena e Clara Delgado.


57 visualizações0 comentário